Total de visualizações de página

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012


Ser Um Viciado em Masturbação ou Não?!

Para ser claro, eu sou um viciado em masturbação. Isso não aconteceu por acidente. Foi uma decisão deliberada para escolher esse maravilhoso vício, e me entregar totalmente à pornografia, masturbação crônica com negação a ejaculação. E é uma decisão séria, não deve ser tomada de forma precipitada.
É claro que todos os homens se masturbam. Mas alguns, como eu, orgulhosamente fazem sem medo das consequências. Comprometendo-nos a uma vida de masturbação, muitas vezes na forma de solosexual. Fazemos  porque é o maior presente que podemos dar a nós mesmos.  Nos masturbando podemos ir a qualquer lugar e fazer qualquer coisa na nossa cabeça. É a liberdade total, sem remorso, vergonha... Nenhum ato é proibido na nossa imaginação.
Porém, quero ser claro aqui. Se sua vida está totalmente fora de controle e você vive uma existência louca por causa do vício da masturbação, então você precisa procurar ajuda na aceitação de si mesmo por quem você é - um viciado em masturbação - e celebrar sem arrependimento, ou você deve participar de uma organização como Viciados em Sexo Anônimos ou algo do tipo, que são um grupo de pessoas bem intencionadas que ajudam viciados em sexo, incluindo viciados em masturbação.
Mas se você é como eu, e você é orgulhoso dos prazeres que a masturbação lhe dá, então você precisa para de " inventar desculpas" e se tornar mais dependente a seu pau. Você precisa perder a culpa e abraçar o prazer. Você precisa se perder nas inúmeras oportunidades que o vicio lhe dará, pode ser sozinho ou com um parceiro (real / virtual). Vício da masturbação vai resolver a maioria de seus problemas.  Agora é a hora de assumir um compromisso. Como se costumam dizer, "meias palavras nos ajudarão em nada!" Se você vai ser um viciado, então comesse a viver como tal! Lembre-se nunca é o suficiente.



6 comentários:

  1. Inspirador.
    Sou um masturbador viciado e seu blog me ajuda a ser cada dia mais dependente.

    Escreva mais, Jota. Meu pau implora.
    Obrigado por tudo.

    Vitor

    ResponderExcluir
  2. Mandou bem Jota!
    Uma das coisas que mais me fascina na masturbação é a liberdade.
    Liberdade para fazer sexo grátis e sem depender dos outros.
    Liberdade de fazer sexo garantidamente seguro.
    Liberdade para fazer sexo quando quiser, pelo tempo que quiser, quantas vezes quiser.
    Liberdade para evitar o gozo durante dias ou gozar excessivamente se der vontade.
    Liberdade para ficar excitadíssimo, fazer loucuras, botar a língua ou fazer caretas.
    Liberdade para soltar a imaginação ou focar naquilo que realmente interessa, sem distrações, pudor ou falso moralismo.
    Liberdade para usar pornografia como bem entender.
    Liberdade para estimular-se do jeito que quiser: vestido, nu, usando as mãos ou fudendo algum objeto da casa.
    Liberdade para fazer tentativas e errar sem sentir vergonha.
    Liberdade para manter o pênis no centro do universo até que nada mais tenha importância.
    Liberdade para deixar o mundo exterior de lado a ponto de excitar-se com a própria excitação.
    Liberdade para interromper a progressão do orgasmo um pouco antes dele se tornar ejaculação, depois repetir tudo de novo.
    Liberdade para entrar em gooning e, ao invés de gozar, continuar se masturbando demoradamente.
    Liberdade para se concentrar exclusivamente nas próprias sensações sem se distrair com coisas desnecessárias.
    Liberdade para prolongar um “quase orgasmo” por cada vez mais tempo e também diminuir o intervalo entre um “quase orgasmo” e o outro.
    Liberdade para excitar-se paulatinamente a ponto de ter “quase orgasmos” mais fortes do que um orgasmo rápido convencional.
    Liberdade para prolongar a masturbação pelo tempo que for necessário até entrar em transe. Como se o tempo e o espaço tivessem sido congelados na iminência de um orgasmo e assim permanecessem indefinidamente.
    Liberdade para só gozar quando quiser e se não quiser; tudo bem.
    Liberdade para interromper ou recomeçar a punheta sem ter que dar satisfações.
    Liberdade para se masturbar em frente a um espelho.
    Liberdade para ficar completamente hipnotizado pelo próprio caralho.
    Liberdade para fotografar, filmar ou exibir o pênis na NET.
    Liberdade para compartilhar as punhetas virtualmente (com uma ou mais pessoas ao mesmo tempo).
    Liberdade para ver os outros gozarem sem, necessariamente, também ter que gozar.
    Liberdade para continuar se masturbando mesmo após todos os outros já terem terminado.
    Liberdade para exagerar sem ser socialmente discriminado.
    Liberdade para assumir a própria obsessão e, orgulhosamente, fomentá-la.
    Finalmente; liberdade para dar, receber, compartilhar punhetas reais ou até transar, porque uma coisa não excluía a outra.
    Paulo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, queria muito o seu email para entrar em contato contigo e trocar algumas experiencias.

      Abraço, irmão punheteiro.

      Vitor.

      Excluir
    2. Paulo, nossa que legal como você se expressou. Adorei! Me sinto da mesma forma e sou mulher, adoro, simplesmente adoro me masturbar. Venero minha buceta carnuda. Quanto mais a masturbo mais gostosa ela fica. E uma coisa não exclui a outra, amo trepar e amo masturbar-me! Me escrevam: orquidea4fun@yahoo.com.br

      Excluir
  3. Otimo Texto Paulo.
    A idéia é se libertar de qualquer coisa ou algo para se prender ao maravilhoso vício da masturbação crônica!
    Parabens!!
    Vamos nos masturbar compulsivamente galera, sem pudor sem medo SÓ PRAZER!!
    Masturbação pura é masturbação sem ejaculação
    Aumente seu vício, prove, desfrute do que lhe foi dado por direito.
    punheta
    punheta
    punheta
    punheta
    punheta
    É tudo que queremos e precisamos!!

    ResponderExcluir
  4. Belíssimo texto, a masturbação faz parte de nós, gostamos, fazemos, queremos, masturbar, masturbar, masturbar.

    ResponderExcluir